Passar para o Conteúdo Principal Top
logótipo CMV
Perguntas Frequentes   Facebook Twitter Instagram Flickr Youtube ISSUU RSS feed
 

Ler não Custa Nada em Valongo

Notícias
03 Janeiro 2018

Ler-Não-Custa_Cartaz_web

Com o lema «Ler não custa nada...», a Câmara Municipal de Valongo está a apostar na promoção da leitura em todo o concelho, investindo na compra de livros novos para a Biblioteca Municipal e numa rede de pontos de entrega e recolha de livros em todas as freguesias.
"Desde 2014 que temos vindo a investir muito na promoção da leitura, porque entendemos que ler faz-nos saber mais, sentir mais e sermos mais plenos como pessoas. Passamos a ter, nas nossas bibliotecas, condições para, à medida que nos iam sendo pedidas novas publicações, podermos comprá-las”, salienta o Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, revelando que desde 2014 o número de leitores inscritos na Biblioteca Municipal triplicou, passando para 9 mil inscritos, mesmo antes do início da campanha «Ler não custa nada!».
Além da Biblioteca Municipal de Valongo e dos Polos de Leitura de Alfena e de Ermesinde (Vila Beatriz), a Autarquia disponibiliza o serviço de entrega e recolha de livros nos Espaços do Cidadão de Campo, de Sobrado, da Travagem-Ermesinde e da Câmara Municipal. Também no sentido de facilitar o acesso à leitura, foi criado o catálogo online Bibliopolis Valongo, disponível através do endereço http://valongo.bibliopolis.info/.
“Um leitor ativo é uma pessoa que também se envolve de forma diferente na vida em comunidade. Se calhar vai fazer teatro, ser mais ativo em termos cívicos, vai descobrir talentos no mundo das Artes, ser poeta ou escritor. Se calhar vamos ter muita gente a fazer coisas que não sonham, hoje, que têm talento para tal", considera José Manuel Ribeiro.
"A leitura dá-nos uma riqueza muito grande e torna-nos muito especiais. Eu cresci muito nas bibliotecas e não tinha dinheiro para aceder aos livros, por isso, sinto ser minha obrigação e do município garantir o acesso à leitura e remover o obstáculo monetário”, revelou o autarca, frisando que “em Valongo não é por falta de dinheiro que a pessoa não lê. Só tem de ter vontade".
"Notámos um acréscimo a partir do momento em que a Câmara Municipal e o presidente nos proporcionaram verba para a renovação das coleções. As pessoas gostam de vir à biblioteca, mas gostam de ver novidades. Houve uma fase em que as pessoas comentavam que já tinham lido tudo e pediam novas publicações. Mas, a partir do momento em que começamos a renovar, isso trouxe um dinamismo muito maior até no empréstimo domiciliário", realça Laura Moreira, responsável pelo serviço de biblioteca e documentação do concelho de Valongo, congratula-se, também, com a grande recetividade que esta iniciativa tem tido junto dos habituais usuários.
"As pessoas vêm aqui, têm oferta e se quiserem um livro podem deixar a sugestão. Passado uma ou duas semanas, como temos um sistema de aquisição com uma distribuidora, é-nos facultada a obra e podem vir cá buscá-la", refere Laura Moreira, avançando: "É muito importante que os utilizadores nos ajudem a selecionar e a renovar as coleções das bibliotecas. Qualquer pessoa que esteja inscrito na biblioteca ou que se pretenda inscrever, pode deixar a sua sugestão".
"As bibliotecas se não renovarem anualmente as suas coleções, são bibliotecas que começam a morrer", conclui a responsável pela Biblioteca Municipal.