Passar para o Conteúdo Principal Top
logótipo CMV
Perguntas Frequentes   Facebook Twitter Instagram Flickr Youtube ISSUU RSS feed
 

Autarquia fundamenta combate à obesidade infantil com estudo científico

Notícias
Autarquia fundamenta combate à obesidade infantil com estudo científico
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
09 Outubro 2018

Em cada dez crianças do 1.º ciclo do ensino básico do Município de Valongo, quatro apresentam excesso de peso e sete não estão satisfeitas com a sua imagem corporal. Esta é uma das principais conclusões do estudo “Avaliação e autoperceção antropométrica de crianças do 1.º ciclo do ensino básico das Escolas do Município de Valongo”, apresentado publicamente no dia 9 de outubro, na Biblioteca Municipal de Valongo.

Realizado no ano letivo 2017-2018, no âmbito do projeto Crescer+ da responsabilidade do Instituto Técnico de Alimentação Humana, S.A (ITAU), este estudo contou com a colaboração da faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP) e com a parceria do Município de Valongo.

"O primeiro passo para resolver um problema é assumir que ele existe e a obesidade infantil é uma espécie de retrocesso civilizacional. Este estudo reforça o que empiricamente já sabíamos e diz-nos para continuar neste caminho e aprofundar mais",  considerou o Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, referindo que ao nível do comportamento alimentar no primeiro ciclo a autarquia tem investido na substituição da proteina animal por protaina vegetal e também na redução do sal e do açucar. O autarca referiu ainda outros projetos incluídos no Projeto Educativo do Município para estimular comportamentos alimentares corretos tais como o NutriVentures e o DiverCook, admitindo que a solução para o flagelo da obesidade não é fácil, pois " vivemos numa sociedade consumista, onde é mais barato comer comida de plástico do que fazer uma alimentação saudável".

José Manuel Ribeiro reconheceu também a existência de "um conjunto de mensagens diárias no sentido de as crianças verem a magreza extrema" como o "ideal para se inserirem socialmente", ressalvando que isso "não é algo que dependa exclusivamente dos municípios ou da vontade dos professores" e que dada a "dimensão societal, tecnológica e mediática desta questão será necessária uma visão holística para contrariar esta tendência".

O estudo  “Avaliação e autoperceção antropométrica de crianças do 1.º ciclo do ensino básico das Escolas do Município de Valongo” decorreu entre 23 de abril e 15 de maio de 2018, numa amostra da população escolar do 1.º ciclo, envolvendo 29 turmas e 481 crianças avaliadas, num universo de 3147 alunos inscritos, a quem foram avaliadas variáveis com relevância para a caracterização da composição corporal das crianças, nomeadamente dados antropométricos (peso e estatura), dados pessoais (sexo, idade e perceção da composição corporal) e dados sociodemográficos (escola, turma, ano de escolaridade, nível de escolaridade dos pais e número de irmãos).