Passar para o Conteúdo Principal Top
logótipo CMV
Perguntas Frequentes   Facebook Twitter Instagram Flickr Youtube ISSUU RSS feed
 

Valongo ultrapassa metas de compostagem caseira

Notícias
Valongo ultrapassa metas de compostagem caseira
15 Outubro 2016

No que respeita à compostagem caseira, o Município de Valongo já ultrapassou as metas do PAPERSU - Valongo (Plano de Ação para obtenção dos objetivos traçados no PERSU 2020 - Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos). Já foram entregues mais de 1250 compostores no Município de Valongo, o primeiro do universo Lipor a superar as metas estabelecidas para a compostagem caseira até 2020. Atualmente, cerca de 30 por cento do peso do lixo doméstico é composto por resíduos biodegradáveis. Além de diminuir a quantidade de lixo, o processo de compostagem permite ter em casa um excelente fertilizante para a horta ou para o jardim.
"Estamos orgulhosos destes resultados, mas não podemos ficar por aqui neste processo de mudança de comportamentos no tratamento de resíduos. Temos de continuar a apostar não só na compostagem caseira, mas também na reciclagem, pois muito do lixo que produzimos tem valor. Por exemplo, uma quantidade absurda de vidro continua ser queimada quando podia estar a ser valorizada", afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, que falava na Biblioteca Municipal de Valongo no encerramento de mais um curso de compostagem caseira Terra a Terra, uma iniciativa promovida em parceria com a Lipor em todas as freguesias do concelho.
Para se cumprir as restantes metas é necessária uma mudança mais ampla de comportamentos, que passa pelo aumento da reciclagem de materiais que ainda são indevidamente enviados para queimar na central incineradora, como o vidro, o plástico e o papel. Referindo que o tratamento dos resíduos em Valongo custa anualmente 3 milhões de Euros (10 por cento do orçamento municipal), José Manuel Ribeiro exortou mais uma vez aos cidadãos para que criem condições para se baixarem os custos do sistema de tratamento dos resíduos, diminuindo a produção de lixo indiferenciado.
Aprovado pela Agência Portuguesa do Ambiente, o PAPERSU - Valongo foi elaborado em articulação com a Lipor - o sistema de gestão de resíduos urbanos em que se insere Valongo, sendo um documento essencial para que o Município possa aceder a financiamentos comunitários para implementar as suas ações.
Entretanto, está já em curso o projeto-piloto de recolha seletiva porta-a-porta de resíduos para reciclagem, uma das medidas com maior impacto previstas no PAPERSU - Valongo, que no total implica um investimento de 1,2 milhões de euros.
Além da compostagem caseira e da recolha seletiva de resíduos porta-a-porta, o plano de ação para Valongo atingir as metas do PERSU 2020 inclui a densificação da rede de ecopontos, hortas comunitárias e ações de sensibilização para a população.