Passar para o Conteúdo Principal Top
logótipo CMV
Perguntas Frequentes   Facebook Twitter Instagram Flickr Youtube ISSUU RSS feed
 

Município aposta na adoção de animais

Notícias
Img 2275 1 1024 450
Img 2242 1 1024 450
Img 2213 1 1024 450
Img 2381 1 1024 450
Img 2316 1 1024 450
Img 2261 1 1024 450
Img 2219 1 1024 450
Img 2365 1 1024 450
22 Outubro 2018

No âmbito das comemorações do Dia Mundial do Animal, no dia 20 de outubro, pelas 16h30, o Município de Valongo promoveu mais uma iniciativa para estimular a adoção dos animais (cães e gatos) recolhidos no Centro de Recolha Oficial de Animais do Centro Veterinário Municipal, em Campo, onde vai passar a funcionar uma autêntica «Praça da Adoção». No primeiro dia de abertura foram adotados 5 animais, quatro cães e um gato. Esta solução surge na sequência da construção de novas jaulas no Centro Veterinário Municipal, que duplicou a capacidade passando a poder albergar no total 30 animais. O investimento municipal rondou os 15.000€. Este dia será também marcado pelo anúncio de um pacote de medidas que permitam a Valongo continuar a destacar-se como uma das Autarquias que trata melhor os seus animais. Assim, o horário de adoção será alargado para todos os dias úteis das 10h00 às 17h00 e aos sábados das 10h00 às 12h00. Este horário alargado permitirá uma maior adoção e uma maior participação pública e de proximidade com iniciativas tais como o voluntariado e o projeto FAT Valongo (Famílias de Acolhimento Temporário). Outra novidade é a oferta da vacinação antirrábica, do dispositivo de identificação eletrónica (microchip), da desparasitação, da esterilização e ainda do acompanhamento ao longo da vida mediante consultas de aconselhamento a quem adotar um animal no Centro Veterinário. Em média a autarquia gasta 100€ por cada animal que entrega para adoção. De salientar que a Câmara Municipal Valongo foi a primeira autarquia a nível nacional a esterilizar animais para adoção no próprio Centro de Recolha Oficial, em 2006. A esterilização estende-se agora a colónias de animais errantes, nomeadamente de felídeos, como forma de controlar a reprodução dos animais errantes. Pretende-se ainda que a esterilização esteja ao alcance de todos e que haja uma consciencialização da população para a responsabilidade de ter um animal. Assim, será dada continuidade ao protocolo de redução do preço das cirurgias de esterilização para que os munícipes carenciados paguem pela esterilização dos seus animais apenas um terço do valor pago atualmente nas clínicas veterinárias.